Tipos de dietas post image

Tipos de dietas

Principais tipos de dietas, conheça os prós e contras de cada tipo. Em quais princípios assentam as populares dieta de Montignac e Dukan? Como encontrar uma dieta eficaz?

Como encontrar uma dieta eficaz?

Revistas e sites na Internet estão cheios de dietas que prometem resultados rápidos e que apresentam na qualidade de confirmação lógica uma história qualquer de um nutricionista misterioso que descobriu um “alimento secreto único”.

Aqueles que tentam encontrar uma dieta eficaz sem entender os conceitos mais básicos do metabolismo e da nutrição, passarão por momentos difíceis. A FitSeven está pronto a ajudá-lo: iniciamos aqui uma série de artigos onde abordaremos logicamente as dietas mais populares.

Comida Kosher e vegetarianismo

Em primeiro lugar, devemos distinguir as dietas resultantes de cultos religiosos ou convicções morais que implica a rejeição completa de carne, ou a rejeição apenas de alguns tipos de carne, restrições alimentares em determinados períodos e assim por diante.

A maioria dessas dietas não tem como objetivo alterar o peso corporal nem são usadas para fins estéticos e, por isso, determinar os prós e contras delas não nos parece muito correto. Quanto ao vegetarianismo, a FitSeven já escreveu que a recusa da carne não cria necessariamente dificuldade em criar músculos.

Tipo 1: “Alimentos mágicos”

Este primeiro tipo inclui todas as dietas que pressupõem listas com alimentos “ruins” e “bons” (por exemplo, a dieta de Montignac), as monodietas (de abacaxi, de certos cereais, etc.), assim como as dietas que incluem alimentos com “calorias negativas”.

Na esmagadora maioria dos casos, essas dietas não são mais do que desvarios completos que podem prejudicar a saúde. A única razão pela qual essas dietas funcionam é o fato de o controle mínimo sobre o que comemos ser melhor do que nenhum controle.

Tipo 2: Dieta pobre em gordura

A essência desta dieta é a de limitar o consumo de gordura – nela são permitidos apenas alimentos que contêm pequenas quantidades de gordura ou que não contêm gordura nenhuma. A lógica desta dieta é que se consumirmos menos gordura, menos gordura se depositará no nosso corpo.

No entanto, esta dieta é tão perigosa (com uma ingestão diária de gordura inferior a 40-60 gramas o nosso metabolismo piora significativamente), quanto absurda: se comer iogurte desnatado você acaba ganhando mais peso porque ele é feito inteiramente de açúcar.

Tipo 3: Restrição calórica

A contagem das calorias consumidas diariamente pode facilmente ser considerada a forma mais popular para perder peso. Existe um montão de comunidades que se oferecem para monitar as suas calorias com você e a organização Weigh Watchers (Vigilantes do Peso) chegou mesmo a rotular os alimentos em alguns países europeus.

A base teórica dessa dieta é seguinte: se determinar a sua ingestão diária de calorias e estabelecer um déficit moderado (não mais do que 20%), você vai realmente perder peso. Esta dieta tem uma desvantagem: a quantidade de calorias não é tão importante quanto a composição da comida, que também deve ser monitorada.

Tipo 4: Dieta pobre em carboidratos

As dietas pobres em carboidratos envolvem uma renúncia total ou parcial de hidratos de carbono e é em princípio como estes que se delineia a dieta do Kremlin, a dieta de Atkins, a dieta de Dukan, a dieta Keto, entre outras. A lógica é que sem carboidratos, o corpo começa a queimar gordura.

Apesar de a base teórica desta dieta ser a mais consistente, ela tem uma série de desvantagens, e já há três anos consecutivos que a British Dietetic Association (Associação Dietética Britânica) considera a dieta de Dukan a mais perigosa de todas e recomenda que seja evitada(1).

Tipo 5: Controle de nutrientes

Controlar não apenas as calorias, mas também a composição das refeições e a quantidade de gordura, proteínas e carboidratos dá-nos o método mais razoável de dieta para alterar o nosso peso. Entre as dietas mais populares, a que está mais próxima deste tipo é a dieta da Zona.

Este tipo de dieta só tem uma desvantagem: exige um controle constante e completo da quantidade dos alimentos consumidos e sua composição. Nem todo mundo consegue fazer isso e é precisamente por esta razão que as pessoas procuram métodos mais simples e acreditam em “dietas milagrosas”.

***

Entre a infinita variedade de dietas, fundamento teórico têm apenas as dietas pobres em carboidrato e as dietas com ingestão controlada de nutrientes. Levando em conta o fato de as dietas pobres em carboidrato poderem ser perigosas, a melhor opção é controlar os nutrientes.

Referências:

  1. British Dietetic Association (BDA): Worst Diets to Avoid, source

Adicionar novo comentário: