Melatonina: o hormônio do sono post image

Melatonina: o hormônio do sono

O hormônio do sono, melatonina, não só ajuda a normalizar o biorritmo do sono, como também é um antioxidante muito eficaz, capaz de manter a juventude por mais tempo.

[kkstarratings]

O que é melatonina?

A melatonina é um hormônio produzido pelos pinealócitos da glândula pineal (a qual se localiza no diencéfalo). A melatonina participa da sincronização dos biorritmos (é por isso que se chama “o hormônio do sono”) e influe conjuntamente no sistema hormonal e imunológico.

O chamado “jetlag” provocado por horas de viagem, as sonecas prolongadas durante o dia, a fata de sono nas noites, não ter um horário certo para deitar-se, entre outros, são fatores que alteram os ritmos circadianos do corpo, o que leva à inevitável insônia crônica. A ingestão de melatonina em pílulas ajuda a normalizar estes ciclos.

Por que dormir pouco provoca depressão, acumulação de gordura e aumento de peso na região abdominal? Quantas horas é preciso dormir?

Influência da melatonina nos biorritmos

Nas pessoas, os períodos de sono e vigília variam com intervalos cíclicos, dependendo de fatores externos, sendo o mais importante deles a incidência de luz. Durante as horas da noite, o organismo começa a produzir melatonina, e isto prepara o corpo para dormir.

A secreção inadequada de melatonina contribui para a diminuição da profundidade e da qualidade de sono e, por isso, de bem-estar em geral. Isto se deve ao fato de que, durante a noite, o corpo recupera suas forças e normaliza o trabalho de todos os sistemas (começando pelo sistema nervoso e terminando pelo muscular).

O antioxidante mais potente

As pesquisas científicas mostram que a melatonina é um antioxidante potente e grande captador de radicais livres. Durante o sono, o hormônio penetra em todos os tecidos e órgãos do corpo, ação que atenua o dano celular causado pelos processos oxidativos.

O hormônio melatonina é uma proteção completa contra o envelhecimento devido ao fato de que a maior parte de suas funções antioxidantes se concentra em frear os danos provocados no DNA. A diminuição na produção de melatonina está diretamente relacionada com o envelhecimento da pele e dos demais órgãos.

O déficit de melatonina e as depressões

Além de segregar melatonina, a glândula pineal também é responsável pela produção de serotonina, conhecida como o hormônio da felicidade. A deficiência de serotonina leva a desenvolver depressões, lentidão nos processos de pensamento e deteriora o humor. O déficit deste hormônio é tratado com antidepressivos.

É importante destacar que a melatonina se sintetiza diretamente da serotonina. A falta de melatonina literalmente obriga o corpo a eleger o que é mais importante: ter pensamentos positivos e bom humor ou dormir bem. Frequentemente todos esses processos se veem afetados, o que leva ao surgimento de problemas mais complexos.

Produção de melatonina

A concentração de melatonina no sangue tem uma variação que varia ao longo do dia e estas variações estão diretamente relacionadas com a luz. A maior concentração se observa entre a meia-noite e as 5 da manhã: até 70% da melatonina se produz durante este período (20-30Mkg aprox).

A luz branca detém a segregação de melatonina; além disso, a luz da tela dos dispositivos eletrônicos traz transtorno aos ritmos do sono, já que o cérebro fará a suposição de que é dia. Se você sofre de insônia crônica, o melhor é não usar o telefone celular nem assistir TV nas 2 horas anteriores de ir dormir.

Cura contra o envelhecimento

As pesquisas demonstram que a carência de melatonina nos animais leva à aceleração dos processos de envelhecimento: a menopausa manifesta-se precocemente, os radicais libres começam a danificar as células com maior intensidade, a sensibilidade da insulina diminui, tende-se a sofrer de obesidade e câncer.

Para prevenir o envelhecimento prematuro, é necessário combater a insônia, tratar de manter a qualidade do sono e níveis saudáveis de melatonina no sangue. É por este motivo que entre os 40-50 anos, os doutores recomendam aos seus pacientes o consumo de melatonina adicional em forma de pílulas ou tabletes.

Melatonina em pílulas

O conhecimento da composição química da melatonina tem permitido a sua produção em forma de pílulas ou tabletes. Ela não é considerada um medicamento, mas sim, um suplemento alimentar. A melatonina em pílulas está disponível para venda sem prescrição médica em quase todos os países.

Ao comprar um suplemento de melatonina, preste atenção na dose de substância ativa: comece com 1mg e aumento a 5 ou 10mg apenas caso as doses menores não tenham dado resultado algum. A melatonina deve ser ingerida 10-15 minutos antes de dormir, estando na cama e sem exposição à luz.

***

A melatonina tem um papel fundamental na luta contra o envelhecimento prematuro, aumenta as defesas do organismo e ajuda a evitar efetivamente as depressões; além disso, normaliza os biorritmos do sono, os quais são alterados por viagens e trabalhos noturnos.

Bibliografia:

  • Melatonin, source
  • Melatonin: a peroxyl radical scavenger more effective than vitamin E, source
  • Melatonin for the Treatment of Sleep Disturbances in Major Depressive Disorder, source
  • Melatonin counteracts alterations in oxidative metabolism and cell viability induced by intracellular calcium overload in human leucocytes: changes with age, source

Adicionar novo comentário: