Cigarro vs. Musculação post image

Cigarro vs. Musculação

Explicação científica de como fumar dificulta e afeta o crescimento muscular. Tudo sobre porquê o tabagismo diminui a efetividade da musculação, dos treinos de força e outros esportes.

[kkstarratings]

São compatíveis o cigarro e o esporte?

Por um lado, já é bem conhecido que, no geral, fumar é prejudicial à saúde. Por outro, 1 bilhão de pessoas adultas fumam ao redor do mundo, o que corresponde a cerca de 20% da população mundial. Destes fumantes, 800.000.000 são homens. Muitos deles não podem vencer este hábito e, ainda assim, praticam esportes.

Aos fumantes sempre é interessante saber se o tabagismo tem um verdadeiro impacto negativo no crescimento muscular e o que acontece quando se fuma um cigarro imediatamente depois de treinar. A resposta curta, mas certa, é que efetivamente fumar prejudica os treinos e fumar logo após exercitar-se só piora a situação.

Dicas simples para reduzir as probabilidades de morte prematura, minimizando o risco de ter um ataque cardíaco ou um infarto.

Cigarro e a deteriorização do metabolismo

As pesquisas científicas têm mostrado que as pessoas que fumam regularmente produzem trocas metabólicas a nível celular, entorpecem a produção de proteínas e diminuem a atividade dos genes, o que causa sarcopenia (degeneração muscular e perda da força). Literalmente, o corpo de um fumador envelhece mais rápido.

Ademais, o tabagismo propicia o desequilíbrio do sistema hormonal das pessoas que praticam esportes. Crescem os níveis do hormônio do estresse (de cortisol principalmente), igualmente diminui a produção de testosterona, assim como outras anomalias a nível hormonal que prejudicam o crescimento e manutenção dos músculos.

Influência do cigarro no crescimento muscular

Fumar transtorna os processos de assimilação do oxigênio, a falta deste no organismo afeta diretamente o crescimento muscular. Os fumantes desenvolvem pulmões com menor capacidade e a nicotina e outras substâncias químicas diminuem a atividade do fluxo sangüíneo, atos que não favorecem a nenhum esportista.

No cigarro, o elemento mais prejudicial para os músculos é o monóxido de carbono (dióxido de carbono). Uma vez no sangue, este se une com a hemoglobina, deteriorando a capacidade que tem os glóbulos vermelhos para transportar oxigênio. Como resultado, os músculos, assim como todo o corpo, sofrem de falta de oxigênio.

Efeitos do cigarro no coração

Em média, o coração de um fumante bate 30% mais rápido que de uma pessoa não fumante, este fenômeno aumenta a pressão arterial e cria uma carga adicional sobre o sistema cardiovascular durante o exercício. Estes atos são evidentes na diminuição da força e no aumento da fadiga e cansaço ao treinar.

Devido ao fato de os pulmões e o sistema respiratório funcionarem de forma pouco efetiva (já que neles há fuligem), os esportistas experimentarão falta de respiração e aumenta da carga sobre o coração. Um fumante crônico pode chegar a correr uma maratona, mas ao fazê-lo, levará o seu coração ao limite de sua capacidade.

Cansaço e insônia

Posterior ao suposto relaxamento que o tabaco proporciona aos fumantes, as pessoas tendem a sentir-se estressadas, este efeito é produzido pela falta de nicotina. Definitivamente, fumar produz uma grande carga sobre o sistema nervoso, o que finalmente causa irritabilidade e fadiga, fenômenos que são prejudiciais para o sono.

Ademais do que foi mencionado, a nicotina freia o efeito do hormônio do sono – melatonina, pelo qual um fumante demora mais tempo para dormir e ter um sono profundo. Já se é conhecido que a má qualidade do sono influi negativamente nos processos de recuperação muscular depois de haver treinado.

Doenças causadas pelo uso do cigarro

Os danos que os cigarros causam à saúde não passam despercebidos. O tabagismo aumenta em 23 vezes (!) o risco de um homem sofrer de câncer de pulmão, faz com que os vasos sangüíneos se contraiam e o sangue se torne mais denso, o que leva à obstrução das vias sangüíneas e aumenta a possibilidade de desenvolver varizes.

O maior problema que evita a conscientização dos fumantes é que a ação destrutiva dos cigarros se evidencia paulatinamente: as pessoas não se dão conta de que o seu organismo está se deteriorando. Um só cigarro não causa um grande dano, sem dúvida, mas fumar constantemente mata de forma lenta.

Como deixar de fumar?

O tabagismo é um vício do tipo social. Este se forma através da influência de outras pessoas e é possível deixá-lo em algumas semanas, já que a dependência física à nicotina é baixa. É necessário focar na vontade de deixar de fumar e que esta ação é uma troca positiva, além de conscientizar-se de que abandonar este vício é fácil.

O mais difícil é não cair na tentação ao ver fumantes ou ao experimentar situações em que antes o impulsionavam a fumar. É por isso que durante as primeiras semanas, mesmo que se esteja tentando abandonar o hábito, é importante não ter recaídas e esforçar-se para encontrar hábitos novos e saudáveis: esta é a chave do êxito.

***

Fumar evidentemente prejudica o sistema cardiovascular e respiratório, diminui a resistência e a capacidade de realizar esportes ou treinamentos de alta intensidade. O tabagismo entorpece os processos de assimilação do oxigênio, prejudica a produção de proteínas, propicia o envelhecimento prematuro e perda muscular.

Bibliografía:

  1. World Health Organization, Tobacco Smoke Profiles, source
  2. Smoking impairs muscle protein synthesis and increases the expression of myostatin and MAFbx in muscle, source
  3. Effect of cigarette smoking on levels of bioavailable testosterone in healthy men,source
  4. Health Effects of Cigarette Smoking, source

Adicionar novo comentário: