Dieta do paleolítico post image

Dieta do paleolítico

A dieta do Paleolítico e a recusa em consumir alimentos modernos: tudo sobre os benefícios da mudança para os alimentos tradicionais. Regras para o estabelecimento da dieta.

Hábitos alimentares modernos

Cerca de 70% das calorias obtidas pelos atuais cidadãos urbanos vem de açúcares simples, cereais processados ​​e óleos vegetais refinados(1). É precisamente com estes nutrientes que são feitos o pão e as massas, os doces, os refrigerantes e os alimentos pré-cozinhados.

A dieta moderna, que nos é tão familiar, é toda ela composta por alimentos criados tecnologicamente nos últimos cem anos. Cada vez mais, os especialistas concluem que precisamente ela é a causadora do aumento de peso e deterioração da saúde que verificamos no mundo.

Fast food

O açúcar comum, utilizado hoje em todo lugar, cem anos atrás era considerado uma iguaria, acessível apenas aos mais ricos. A rápida tecnologia de produção de queijo a partir da gordura do leite existe apenas há 50 anos — até então, o queijo era uma coisa muito cara e a ninguém nunca teria ocorrido fazer pizza com ele.

Os primeiros frigoríficos apareceram nos EUA na década de 1930 e fornos de micro-ondas em 1960. Centenas de gerações antes dessa não poderiam sequer sonhar em manter a comida armazenada em casa durante meses para, em seguida, a cozinhar (na verdade, descongelar) em apenas alguns minutos.

Dieta do homem das cavernas

A paleodieta é aquela que reduz ao mínimo os modernos alimentos obtidos industrialmente e que defende a transição para os alimentos tradicionais. O nome da dieta nos transporta para o período do Paleolítico, que durou 2.500 mil anos e terminou 15.000 anos atrás(2).

A dieta do “homem das cavernas” admite o consumo de peixe, frango e carne (de preferência também eles alimentados com comida natural), ovos, legumes, frutas, cogumelos e nozes. Exclui grãos de cereais, farinha e derivados, leguminosas, açúcar, leite, produtos lácteos e óleos vegetais processados.

Benefícios da dieta

Os cientistas que estudam a paleodieta acreditam que a recusa aos produtos lácteos, cereais e açúcar traz grande benefício para a saúde(1). Em primeiro lugar, tem muita gente com intolerância à lactose e, em segundo lugar, as pessoas estão se tornando cada vez mais alérgicas ao glúten.

Além disso, recentes estudos científicos sobre o consumo de açúcar relacionam seguramente o consumo de açúcar não apenas com o aumento da obesidade, mas também com o aumento do risco de câncer (especialmente, câncer do esôfago), com o aumento da diabetes do tipo 2 e até mesmo com a doenças de Alzheimer(3).

Principais regras da paleodieta

Ao contrário de muitas outras dietas, a paleodieta não impõe quaisquer restrições sérias sobre a quantidade de alimento consumido ou o método de preparação. Ela contempla o consumo de carne, peixe e legumes, que você pode cozinhar, fritar ou guisado assim — o método de preparação não importa.

Ela se baseia no consumo de alimentos biológicos orgânicos e de animais de criação também biológica, alguns pesquisadores também recomendam a rejeição completa de batatas, arroz e outras frutas, embora isto não esteja claramente regulamentado.

Paleodieta: a proporção de nutrientes

De acordo com investigações arqueológicas, a dieta do homem das cavernas era principalmente constituída por produtos de origem animal — mais do que 60-70% das calorias vinham de carne e gordura, enquanto os carboidratos eram responsável por não mais do que 20-40%. Na sua essência, a paleodieta é pobre em carboidratos(2).

É importante ressaltar que o uso de vegetais na alimentação tradicional estava diretamente ligado com a época sazonal e localização geográfica. A maioria das frutas doces estava disponível apenas em regiões mais quentes, e os habitantes dos territórios da Europa e Eurásia praticamente não as conheciam.

Vale a pena fazer essa dieta?

Apesar do fato de que a exclusão de farinha e produtos lácteos, de alimentos “industriais” e de qualquer forma de açúcar, parecer, à primeira vista, impossível de ser feita, na realidade não é. Na verdade, as pessoas que se preocupam com a figura já evitam mesmo esses produtos.

Você não vai encontrar um único nutricionista que afirme que o açúcar, o glúten e os alimentos pré-fabricados sejam benéficos para a saúde humana. Além disso, cada vez mais se acredita que é precisamente a alimentação moderna a verdadeira causadora de muitas doenças.

***

Consumir grandes quantidades de alimentos atípico para os seres humanos pode causar não apenas alergias alimentares (intolerância à lactose, ao glúten, e assim por diante), mas muitas doenças. A paleodieta implica um retorno à dieta tradicional.

Fontes:

  1. Origins and evolution of the Western diet, fonte
  2. Paleolithic diet, fonte
  3. High-sugar diets, type 2 diabetes and Alzheimer’s disease, fonte

Data da primeira edição:

  • 27 de maio de 2014

Adicionar novo comentário: