Dependência de açúcar post image

Dependência de açúcar

Sete passos importantes na luta contra a dependência de doces. Tudo sobre como aprender a controlar os seus desejos por açúcar e começar a ficar indiferente diante dele.

1: Renunciar ao doce é um processo

Em primeiro lugar, se prepare para o fato de que a renúncia ao doce é um processo e não algo que acontece de uma hora pra outra. Prepare-se para o fato de saber que você precisará de cerca de um mês para aprender a viver tranquilamente sem açúcar, permitindo-se, no entanto, um docinho de vez em quando, sem com isso cair em excessos.

Lembre-se que o açúcar provoca dependência, literalmente vicia, tanto física, como emocional. No entanto, a boa notícia é que as raízes dessa relação são superficiais e não são assim tão difíceis de “serem cortadas” (se compararmos com o álcool e a nicotina, por exemplo).

2: Evite fontes diretas de açúcar

A primeira etapa será excluir da sua dieta alimentos que contenham açúcar em sua forma pura: doces, refrigerantes, sucos embalados, chocolates e doces. E não se esqueça que até mesmo a bebida esportiva PowerAde contém grandes quantidades de açúcar.

No entanto, as frutas frescas e fontes de carboidratos rápido (como a batata, por exemplo) não precisam ser excluídos da dieta — é importante não confundir dieta sem açúcar com dieta sem carboidratos. Cortar o açúcar da sua dieta é uma questão de saúde e não de perda de peso.

3: Aprenda a combater o vício

Se nos primeiros dias sem açúcar você sentirá que está morrendo de vontade de comer qualquer coisa doce e não consegue deixar de pensar nisso, tome um banho quente ou saia para dar um passeio. A solução ideal seria uma corrida de 20 minutos.

Esses são os momentos em que a dependência física começa a dominar você, por isso é especialmente importante ensinar o seu corpo a trabalhar sem energia de assimilação rápida (como é o açúcar). Fazer jogging ou outro exercício aeróbico de estômago vazio é a melhor forma de conseguir isso.

4: Evite substitutos do açúcar

A frutose, que durante muito tempo foi conhecida como o substituto do açúcar nas dietas, resultou ser ainda mais prejudicial que o próprio açúcar, já que o corpo converte a energia que obtém dela diretamente em gordura corporal. O uso de stevia e outros adoçantes “naturais” também são muito questionáveis.

Além disso, não se esqueça que você está combatendo a dependência de uma substância química: não há necessidade de ingerir qualquer coisa bem doce para lembrar ao seu corpo o que é o açúcar. Em caso extremo, é melhor beber café com açúcar, mas não com adoçante.

5: Retire os doces do seu campo de visão

Um passo importante é reavaliar toda a comida que tem em casa quanto ao teor em açúcar. Treine-se para não comprar doces “de reserva” nem manter em casa açúcar em sua forma pura. Se você não consegue beber o chá sem açúcar, junte uma gota de mel. Ao café adicione leite.

Substitua bolos e outras sobremesas por fruta, descarte os cereais matinais açucarados em favor de sucos naturais de frutas e vegetais espremidos na hora, minimize a quantidade de alimentos pré-cozidos e preparados industrialmente. Siga as 7 regras básicas da alimentação saudável.

6: Aprenda a ver o açúcar ‘invisível’

A fase final deste processo é eliminar da sua dieta os alimentos que contenham “açúcar invisível”, ou seja, aqueles produtos cujo teor de açúcar em sua composição você nem suspeita. São eles, acima de tudo, uma grande variedade de molhos, alimentos pré-cozidos e fast food.

Habitue-se a ler a composição do produto na embalagem e conheças os sinônimos que os produtores podem utilizar para indicar uma substância de alguma forma relacionada com o açúcar: frutose, xarope de frutose, xarope de glucose, glucose, maltodextrina, dextrose, sacarose, néctar de agave e assim por diante.

7: Mude sua atitude em relação ao doce

Uma vez que é praticamente impossível abandonar completamente os alimentos que contêm açúcar ou carboidratos simples, é importante aprender a se relacionar com eles o mais calmamente possível. Não olhe para esses produtos como um incentivo, olhe para ele como um “veneno moderado.”

Se você comer uma laranja ou beber uma xícara de café com açúcar nada de mortalmente terrível vai acontecer com você, no entanto, comer uma barra inteira de chocolate já é outra coisa bem diferente. Lembre-se que prejudicial não é o açúcar em si, mas o seu consumo excessivo.

***

Na luta contra a dependência do doce é importante compreender que não é o açúcar em si que é prejudicial para a sua saúde, mas o seu consumo excessivo. A única maneira de vencer esse vício é aprendendo a ter uma relação o mais indiferente possível com o doce.

Data da primeira edição:

  • 15 de outubro de 2014

Adicionar novo comentário: