Carboidratos corretos post image

Carboidratos corretos

O que comer caso você resolva se privar de arroz e dos cereais que contêm glúten? Recomendações sobre alimentos que contêm carboidratos exclusivamente saudáveis.

[kkstarratings]

Batata-doce e inhame

A rigor, a batata-doce não é parente da batata comum – por suas propriedades, este tubérculo está mais próximo da cenoura. Outro fato curioso é que, na teoria, a batata-doce pode ser comida crua. O inhame se parece muito à batata-doce e é muitas vezes é vendido no lugar daquela.

A principal vantagem da batata-doce é que o seu elevado nível de carboidratos rápidos está combinado com um baixo índice glicêmico (o corpo absorve os nutrientes gradualmente). Cem gramas de batata-doce cobrem a demanda diária de vitamina A, tão importante para o crescimento e o sistema imunológico.

Trigo-sarraceno e quinoa

Uma vez que a quinoa e o trigo-sarraceno não são cereais, eles não contêm glúten em sua composição nem outros alérgenos alimentares comuns. É também importante o fato de estas culturas terem sobrevivido até aos nossos dias sem sofrerem modificações.

O teor de proteína nelas é de 15% do peso do cereal seco e o teor de fibra é de até 10%. Além disso, cem gramas de trigo-sarraceno ou quinoa cobrem metade da dose diária de magnésio, importante para os processos energéticos nos músculos, e até 20-30% das normas diárias de ferro.

Vegetais verdes e brócolis

Os brócolis contêm quantidades elevadas de vitaminas C e K – respectivamente 140% e 130% da norma diária em cada cem gramas. A primeira delas é um importante antioxidante, a segunda é responsável pela absorção de cálcio e pelo metabolismo nos ossos e tecidos conjuntivos.

Estas propriedades são comuns a quase todos os vegetais verdes – espinafre, aspargos, couve-de-bruxelas, couve-flor, couve comum, etc. Todos eles são feitos de água (cerca de 90% dos vegetais crus), de uma quantidade mínima de carboidratos (7-10%, metade dos quais são fibra) e 5,3% de proteína.

Leguminosas

Apesar de muitas das modernas dietas «bio», incluindo a paleodieta, eliminarem de seus cardápios o consumo de qualquer tipo de leguminosas, o feijão corretamente cozinhado (e não o enlatado, tipo Heinz ou Campbell’s) contém muitos ingredientes alimentares essenciais.

Cem gramas de feijão seco contêm 60 gramas de carboidratos (1/4 dos quais é fibra) e 20-25 gramas de proteína. A mesma quantidade de feijão cobre metade da dose diária de magnésio, potássio, ferro, fósforo e zinco — você não conseguirá encontrar esta composição em cereais ou hortaliças.

Abacaxi e bananas

A banana e o abacaxi são alimentos ideais para fornecer energia ao músculo depois de um treino de musculação e para fechamento da janela metabólica. Uma banana média contém 30 gramas de carboidratos (incluindo 14 gramas de açúcar) — o mesmo que duas rodelas de abacaxi.

Entre outras coisas, cada banana que comemos dá ao nosso corpo 20% da dose diária de vitamina C e B6 (as vitaminas do grupo B são particularmente importantes para os atletas) e o abacaxi contém a enzima bromelina, que ajuda a quebrar a molécula da proteína de forma mais eficaz, aumentando assim a percentagem de sua assimilação.

Frutos vermelhos escuros

Na maioria dos casos, é válida a regra, segundo a qual quanto mais escura for a cor das bagas dos frutos do bosque, mais antioxidantes ela contém e melhor faz à saúde. Uma das poucas exceções é a uva, que, apesar da pele escura, é composta mais por água e açúcar.

Diferentes tipos de groselha, o fruto da roseira brava, a cereja e muitos outros frutos vermelhos – todos eles contêm quantidades significativas de vitamina C e variados antioxidantes naturais que ajudam o corpo a combater doenças e infecções, bem como o processo geral de envelhecimento.

Tomates e beringelas

Do ponto de vista botânico, o tomate, a beringela e até o kiwi são frutos silvestres. Apesar de, na sua maioria, eles serem compostos por água e não terem em sua composição quantidades significativas de vitaminas e nutrientes, não deixam de ser importantes do ponto de vista da diversidade alimentar.

Ao falarmos dos benefícios do tomate, é importante referir que a indústria alimentar alterou muito essa cultura. O tomate cereja ocupa um dos primeiros lugares em teor de agrotóxicos e aditivos químicos, perdendo apenas para a maçã e o aipo.

***

A recusa em comer cereais e o glúten contido neles e abraçar uma dieta com fontes de carboidratos bons (batata doce, trigo-sarraceno, verduras e legumes diversos) ajuda a melhorar a digestão e faz com que o corpo se livre mais rapidamente das reservas de gordura.

Data da última alteração:

  • 3 de dezembro de 2014

Adicionar novo comentário: